Notícia

Retiro de Carnaval da Casa Mãe da Comunidade Doce Mãe de Deus entra em seu quarto dia

Nesta segunda feira, a Casa Mãe da Comunidade Doce Mãe de Deus segue com o Retiro de Carnaval em seu quarto dia.

A manhã iniciou com animação e em seguida houve um momento de adoração ao Santíssimo Sacramento com a presença de Pe. Adielson (CDMD).

Após o intervalo, o Ministério de Música Doce Mãe de Deus reuniu os presentes no Centro de Evangelização São Miguel Arcanjo e deu-se início a pregação cujo tema foi “Batalha espiritual na vida familiar”, com Carlos Biajoni (CCN). Disse que iria ensinar aos presentes como usar a identidade espiritual de cada um e as armas corretas e eficazes para o combate.

Carlos (CCN) lembrou a todos que a presença do inimigo de Deus é real e que em Ef 6, 10ss demonstrar que sempre estaremos em combate espiritual. Ensinou sobre a diferença entre combate e embate espiritual. Combate espiritual é quando lutamos e vencemos mas vem a revanche do inimigo de Deus, ai é que começa o embate.

Segundo o pregador da manhã, o inimigo de Deus sempre escolhe a desavença para que ocorra as discussões entre membros da família, entre casais, amigos. Disse a todos que os que ali estavam deveriam pedir a Deus a autoridade espiritual. Lembrou que não existe família perfeita: esposa ou esposo perfeito, filho ou filha perfeita, mas sim, pessoas que buscam a santidade, que lutam para dar certo. Profetizou que todos passaram pela ressurreição em suas casas, mas que era necessário passar pela paixão antes.

Para que isso aconteça é necessário reconhecer que nós somos o “problema”. “Tudo depende do que você planta na sua casa. Se planta discussão, vai colher discussão. Se planta diálogo, colhe diálogo, pois a família é o Santuário da Vida.

“A missão da família de Deus é guardar a família, proteger. Revelar ao mundo o que sua família é. Comunicando um Cristo vivo e vivido. Guardar, revelar e comunicar”, ressaltou. Lembrou que existe uma cultura que está destruindo as famílias é o “descarte”. “Só dou ou só faço se…”, disse.

Lembrou então aos presentes, que a matemática de Deus é diferente. Ele diz que se bateram numa face, oferece a outra. Quer desconcertar alguém? Retribua o que recebeu de ruim, com um perdão.  “Parece que não estamos acostumados a ser amado”, refletiu Carlos (CCN). Pontuou sobre as músicas que se ouve, perversões e pornografias, educação que se recebe em escolas, e a vida de oração.

Quanto a identidade espiritual, Carlos (CCN) disse que a palavra de Deus aponta que cada um é Filho de Deus (Rom 8, 16), vencedor (Rom 8, 37), sal e luz (Mt 5, 13-14) , e a palavra diz que cada um tem a vida eterna (Rom 6,23), salvos (Ef 2, 13), vida eterna (I Jo 2, 25), vencermos a tentação(I Cor 10,13), que tudo se pode Naquele que fortalece (Fil 4, 13).

Concluiu a pregação, rezando com os presentes e clamando a força do Amor de Deus para a vida de cada um.

Ainda dá tempo de vir pra cá! Ainda há muita coisa por viver!

Da Redação