Notícia

Ser santo sem deixar de ser jovem

Imagem: Internet

Quando paramos para listar o que se passa em nossa mente enquanto jovens, aquilo que está em nossa volta, e tudo o que nos cobra respostas e atitudes, nos deparamos com inúmeras situações dentre os mais diversos cenários: nossa família, nossos relacionamentos, vocação, estudo, trabalho, amigos, sonhos, diversão, e um turbilhão de informações e caminhos que o mundo nos apresenta. Em meio a isso, um coração grita para corresponder em todas essas áreas.

Neste contexto, é possível buscar uma vida de santidade, sem deixar de ser jovem? Sim, é possível e necessário. A igreja e o mundo clamam por jovens que lutam pela santidade.

A carta aos jovens, escrita por são João Paulo II, nos diz que “precisamos de Santos sem véu ou batina, precisamos de Santos de calças jeans e tênis”. Em outras palavras, através do testemunho de uma juventude que busca a santidade, temos que viver a experiência com Deus, e a partir daí, transbordar onde estamos, e no que buscamos, a graça de quem conhece a Deus, e por meio desta mesma graça, viver tudo o que nos convém como jovens de uma maneira saudável e como cristãos autênticos.

Em 2013, envolvidos com o espirito da Jornada Mundial da Juventude, que tomou conta do Brasil, tivemos a oportunidade de testemunhar uma juventude atuante na vida cristã, firme na fé. Uma juventude peregrina, missionária, uma juventude que revelou, pela alegria de ser de Deus, o rosto de uma igreja viva, uma igreja jovem. Jovens de diversas nacionalidades que correspondiam com alegria o apelo de são João Paulo II, “Jovens, não tenhais medo de ser SANTOS”.

De todas as experiências que já vivi estando no mundo e sendo parte dele, nenhuma chega perto da alegria de ser um jovem que hoje busca incessantemente a santidade, testemunhando os sonhos de Deus pra mim, gastando de forma livre e feliz a minha juventude.

“Precisamos de Santos que gostam de cinema, de teatro, de música, de dança, de esporte. Precisamos de Santos sociáveis, abertos, normais, amigos, alegres, companheiros. Precisamos de Santos que estejam no mundo e saibam saborear as coisas puras e boas do mundo, mas que não sejam mundanos” (S. João Paulo II).

Que São João Paulo II, esse santo amigo e intercessor de toda juventude, nos conduza neste caminho, anunciando com a vida, aos quatro cantos do mundo, que sim, é possível sermos jovens, e sermos SANTOS!

José Arnóbio Targino C. Filho
Missionário Doce Mãe de Deus – Postulante de Vida