Notícia

Livros apócrifos: o que são?

Imagem: Internet

A palavra apócrifo deriva de uma palavra grega que significa oculto. Os livros apócrifos foram escritos por cristãos, ao longo da história da igreja. Todavia, estes livros trazem em si conteúdos duvidosos, histórias fantasiosas e algumas heresias, por esse motivo não entraram no índice de livros da Bíblia que são chamados de canônicos.

Os livros apócrifos são tidos como livros que não foram inspirados, por não serem fiéis a mensagem de Jesus, e por esse motivo não estão presentes no índice de livros Sagrados. Carregam em si algumas doutrinas duvidosas acerca do ensinamento de Jesus ou revelarem apenas uma parte. Esses livros estão presentes tanto no Antigo, como no Novo testamento.

A Igreja, iluminada pelo Espirito Santo, escolheu os livros que conhecemos hoje, ou seja, os livros canônicos, que foram inspirados. Segue a lista de alguns dos livros apócrifos.

  • Correlacionados ao Antigo testamento:

 Jubileus; A Vida de Adão e Eva; 1 Henoque; 2 Henoque; Apocalipse de Abraão; Testamento de Abraão; Testamento de Isaac; Testamento de Jacó; Escada de Jacó; José e Asenet; Testamento dos Doze Patriarcas; Assunção de Moisés; Testamento de Jó; Salmos de Salomão; Odes de Salomão; Testamento de Salomão; Apocalipse de Elias; Ascensão de Isaías; Paralipômenos de Jeremias; Apocalipse Siríaco de Baruc; Apocalipse de Sofonias; Apocalipse de Esdras; Apocalipse de Sedrac; 3 Esdras; 4 Esdras; Sibilinos; Pseudo-Filon; 3 Macabeus; 4 Macabeus; Salmos 151-155; Oração de Manassés; Carta de Aristeu; As Dezoito Bênçãos; Ahigar; Vida dos Profetas; Recabitas.

  • Correlacionados ao Novo testamento:

Evangelho segundo os Hebreus (gnóstico) – fim do século I
Proto – Evangelho de Tiago (História do nascimento de Maria)
Evangelho do PseudoTomé
Evangelho de Pedro (docetismo) – meados do século II
Evangelho de Nicodemos
Evangelho dos Ebionitas ou dos Doze Apóstolos– meados do século II
Evangelho segundo os Egípcios – meados do século II
Evangelho de André – séculos II/III
Evangelho de Filipe – séculos II/III
Evangelho de Bartolomeu – séculos II/III
Evangelho de Barnabé – séculos II/III

Logo, temos em nossas mãos um grande bem, a Palavra de Deus, que por ação e graça do Espírito Santo está organizada como a conhecemos, e vem nos favorecendo um encontro verdadeiro com Jesus Cristo. Dessa forma, temos acesso a uma grande riqueza histórica que possibilita um conhecer e despertar da mensagem de Jesus Cristo.

Emerson Adelaide
Missionário e Seminarista Doce Mãe de Deus